Programa de necessidades: o que é e qual sua importância?

Aqui na Line Arquitetura, sempre que um projeto é iniciado, realizamos uma reunião com o cliente que trata especificamente de um assunto: o programa de necessidades.

LIA23 - CTA Blog - Casa do Plaza 02

 

Mas, o que seria o programa de necessidades e por que ele é tão importante?

Também conhecido como programa funcional ou programa de atividades, o programa de necessidades visa identificar e definir quais as necessidades do cliente em relação ao projeto em questão. No caso de uma residência, por exemplo, antes de se iniciar a concepção do layout é preciso que fique muito claro como o cliente imagina o projeto e quais as principais atividades e vivencias que ele pensa que acontecerão no local.

Quando perguntamos ao cliente sobre esta questão, geralmente as respostas iniciais são bastante usuais: minha casa deve ter quartos, sala, cozinha, banheiros, sacada, varanda, garagem, lavanderia, etc. Ou seja, ambientes que praticamente toda casa tem. Porém, quando se trata de um programa de necessidades, é preciso ir além dos ambientes e entender efetivamente como o cliente se apropria dos ambientes, o que ele faz em cada um destes locais específicos (e identificar suas ações que talvez ele realize e nem se dê conta a princípio, pois nunca parou para “refletir” sobre o assunto).

 

Como assim “ações que ele realize e nem se dê conta”?

Digamos, por exemplo, que nosso cliente seja um surfista e quer construir sua casa. Provavelmente na sua casa anterior ele chegava da praia, após um belo dia de surf, e lavava sua prancha no quintal ou na garagem e a deixava secando por ali mesmo, em local sombreado. Porém, será que não haveria um modo e local mais prático e específico para esta ação? Se este cliente realiza esta atividade frequentemente, será que não poderíamos pensar e projetar para sua nova residência um local específico para limpar, guardar e cuidar da sua prancha e demais acessórios de surf/praia?

Quando falamos em programa de necessidades, é este tipo de detalhe que também buscamos: as pequenas ações que o cliente realiza que, quando atendidas, fazem com que o projeto ganhe real qualidade funcional para este cliente. Provavelmente a sensação e satisfação com o projeto, quando concluído, serão maiores pois o valor percebido em se ter um produto específico e personalizado é muito superior.

 

Certo! Mas então, como se faz um programa de necessidades assim?

Como dito, provavelmente partiremos dos ambientes usuais (quartos, sala, cozinha, banheiros, etc.). Estes definidos, começamos então uma espécie de “entrevista” com o cliente, perguntando e anotando informações mais detalhadas sobre o que ele faz, seus hobbies, coisas que gosta de fazer, itens que coleciona, atividades que imagina fazer no futuro, etc. Importante: quando falamos em “cliente” queremos dizer não somente um integrante da família (pai, mãe, ou ambos), mas todos aqueles que irão efetivamente se apropriar e utilizar os espaços que serão projetados. O foco é nos usuários!

Para ficar mais claro: uma família composta por pai, mãe e um filho pequeno (8 anos). O quarto do casal será de um jeito e provavelmente o quarto do filho será muito diferente, pois as necessidades e atividades de uma criança de 8 anos diverge muito de um casal adulto. Outro exemplo: uma família formada por uma mãe e duas filhas (15 e 17 anos): o quartos das filhas, provavelmente, precisará de um local para estudos, pois, pela idade escolar, a leitura e tarefas acadêmicas devem ser frequentes e necessitam de local adequado.

Abaixo colocamos uma tabaela (bastante resumida) como exemplo de um programa de necessidades:

 

AMBIENTE

ATIVIDADES

NECESSIDADES

Quarto filho (8 anos)

15

Dormir, brincar, desenhar, ver TV…

boa luminosidade, poder deixar bem escuro durante a noite, evitar móveis com ponta, proteção nas tomadas, mesa para desenho…

 Cozinha 8 Cozinhar, rápidas refeições… boa luminosidade, balcão grande para fazer massas, duas pias grandes, armários para armazenar panos, comidas, utensílios, eletros, local para forno, geladeira, fogão de mesa, boa ventilação, fácil de limpar…
 banheiro suíte  6 Tomar banho, higiene pessoal, relaxar… box com 2 chuveiros, banheira, lavatório, armário para itens pessoais, cesto roupa suja, lixeira, boa ventilação, iluminação direta e indireta, fácil limpeza, etc.
 Suite  22 Dormir, ver tv, relaxar, ler, trabalhar/estudar cama box grande, escrivaninha, cadeira, poltrona confortável com apoio para os pés, iluminação direta e indireta, boa iluminação, boa ventilação, janelas grandes…

Como vimos, o programa de necessidades é um item bastante simples ou complexo, dependendo do quão profundo mergulhamos nele. Independente deste aprofundamento, duas coisas são certas: estas informações são extremamente relevantes para o sucesso do projeto e quanto melhor compreendias e definidas, mais provável a satisfação dos usuários ao longo do uso do projeto.

—-
Gostou deste conteúdo? Comente, sua opinião é muito importante e nos ajuda a sempre melhorarmos nossas publicações.

Caso esteja planejando construir ou fazer projeto de interiores, entre em contato com a Line Arquitetura. Nossa equipe de profissionais está a disposição para poder ajudar você com seu projeto!

47 3246 3527
contato@linearquitetura.com.br

www.linearquitetura.com.br

Rua 248, nº 273 – Executive Center – sala 9
Meia Praia – Itapema – SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *